.

No Agreste, morto participa de licitação e MPF bloqueia 8 milhões de prefeito

Foto: Divulgação
Nos últimos dias o prefeito do município de Agrestina, no Agreste, Thiago Nunes, se comprometeu ainda com a justiça. Na ocasião, o Ministério Público Federal – MPF ajuizou ação de improbidade com pedido de bloqueio de mais de 8 milhões de reais do gestor público. De acordo com o MPF, houve possível ilicitude por parte da prefeitura consistindo em direcionamento, com o objetivo que a IPPM vencesse a licitação.

Para o órgão fiscalizador, houve direcionamento por parte da prefeitura para a contratação por meio de licitação. O MPF fundamenta que os fatos estão claramente comprovados, inclusive subsidiados em relatórios da CGU e do TCE, durante a investigação verificou-se ainda que a pessoa que retirou o edital pela IPPM, Aldisio Gurgel do Amaral, estava morto, conforme relatório da CGU.


Embora todas estas provas o pedido do MPF foi deferido parcialmente pela Justiça Federal de Pernambuco para bloquear o valor de R$ 350 mil para cada um dos cinco réus do processo, no total de 1.75 milhões, já que todos teriam desempenhado papel relevante na fraude, sendo cabível o respectivo bloqueio, mas não nos termos pleiteados pelo MPF, uma vez que estaria antecipando a pena de um processo que está no seu início, justificou o juiz na decisão.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso