.

Governo de Pernambuco lança mão da interlocução com a academia para debater melhorias na gestão de recursos hídricos

Discutir a gestão de recursos hídricos sob uma perspectiva interdisciplinar e, sobretudo, de articulação com a universidade. Esse foi o mote da III Conferência em Gestão Participativa de Reservatórios e Bacias Hidrográficas, que contou com a participação da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos (Seinfra-PE), realizada na UFPE, nos dias 20 e 21/05. Representando a pasta, coube à secretária executiva de Recursos Hídricos da Seinfra-PE, Simone Rosa, apresentar  o painel que explanou “Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável no Contexto de Bacias Hidrográficas de Pernambuco”.

Na ocasião, a gestora provocou os presentes para terem uma visão mais abrangente da água como recurso hídrico. “Essa inserção da gestão de recursos hídricos transpassa a ideia da água como o acesso aos serviços de saneamento, de água e esgotos, apenas. Vai além: coloca-a como elemento central de temas que possuem relação com diversos outros fatores do desenvolvimento sustentável, como a saúde pública e o meio ambiente”, destacou Simone Rosa, que também é professora universitária na área e doutora em Engenharia Civil com ênfase em Recursos Hídricos e Tecnologia Ambiental pela UFPE.

Alinhar a gestão de Recursos Hídricos à gestão do Meio Ambiente é a uma das linhas-mestras da atuação da Seinfra-PE. Exemplo disso, é o programa “Janelas Para o Rio”, cujo objetivo é criar espaços símbolos de proteção e educação ambiental.  “O primeiro que será construído será o Parque Ambiental ‘Janelas Para o Rio’ de Caruaru”, exemplificou Simone. Dentro desse mesmo projeto, ainda estão previstos parques em São Caetano, Bezerros, Escada, Gravatá e Belo Jardim. A ação permitirá a recuperação das margens do rio Ipojuca e seus afluentes, contribuindo para a sua preservação.

Organizado conjuntamente por programas de pós-graduação da UFPE, UFRPE e IFPE, o evento reuniu também especialistas em recursos hídricos de instituições acadêmicas, órgãos públicos e entidades civis.  Além de representantes das três universidades pernambucanas já citadas, a conferência também contou com a participação de representantes da USP – SP; Universidade Regional de Blumenau – SC; UNEB – BA; UFC – CE; Universidade Nova Lisboa – Portugal; Universidade Metropolitana de Oslo – Noruega; Fundação Joaquim Nabuco; Associação Brasileira de Recursos Hídricos; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); Agência Nacional de Águas (ANA) e Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Ao final dos dois dias de Conferência, a expectativa é que seja confeccionada uma carta com os resultados do encontro interdisciplinar. O objetivo do documento é contribuir com a melhoria da gestão dos reservatórios e bacias hidrográficas do Nordeste Brasileiro, através da troca de experiências positivas apresentadas, além de buscar traçar diretrizes e soluções sustentáveis para os problemas inerentes aos recursos hídricos e bacias hidrográficas da região.


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso