.

Após quase dois meses, parte dos servidores de Santa Cruz do Capibaribe permanecem sem receber

Demissões também foram registradas em alguns departamentos.
Foto: Bruno Muniz (Agreg Imagem)
Parte dos servidores do município de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste, permanecem sem receber após quase dois meses de trabalhos prestados. Os profissionais, alguns deles da área de educação e saúde, receberam apenas o mês de agosto passado, restando o mês de setembro, já vencido, e outubro, que praticamente também já terminou.

De acordo com informações obtidas pelo Blog do Bruno Muniz através de servidores públicos, o órgão público não apenas encontra-se com dificuldades para quitar os salários de parte dos colaboradores como também demitiu alguns profissionais, aparentemente com o objetivo de limitar os gastos com pessoal.

Em contato com a nossa reportagem, ex-funcionários de escolas públicas municipais confirmaram que foram exonerados após reuniões realizadas com os colaboradores. Nas reuniões foram apresentados algumas situações que contribuíram para o desligamento dos trabalhadores de seus respectivos postos. Dentre as justificativas, a escassez de recursos por parte da Prefeitura Municipal.

Foram demitidos colaboradores de departamentos específicos nas instituições de ensino, bem como porteiros, vigilantes, cozinheiras, faxineiras, cuidadores e auxiliares.

Cobranças

Semanas atrás o Blog do Bruno Muniz já havia entrado em contato com a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe para apurar informações sobre a questão econômica do município. Na ocasião, nossa redação também havia sido procurada por profissionais que comprovaram ter os seus pagamentos atrasados pelo órgão gestor.

Em resposta ao Blog, a assessoria de comunicação da referida prefeitura enviou uma nota afirmando que mais de 90% dos salários que estavam atrasados já haviam sido pagos, e que nos dias posteriores o restante do quadro de pessoal também receberia os valores referentes ao período atrasado.

Apesar das justificativas compostas por previsões de pagamento, a nossa reportagem voltou a receber relatos de diversos profissionais após a divulgação da nota, estes que afirmavam que a mesma não tinha finalidade utilitária já que mesmo após o aviso e o encerrar do prazo estipulado, os mesmos continuavam sem receber nenhuma quantia.

Nova busca por respostas

Após a constatação dos mesmos atrasos, entramos novamente em contato com a assessoria da prefeitura local. Desta vez, os responsáveis pela comunicação se comprometeram a nos detalhar mais especificamente quando ocorreria o pagamento dos servidores. A abordagem aconteceu no dia 22 de outubro, porém até a data de hoje, nenhuma resposta concreta nos foi enviada.


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso