.

A espera por melhores resultados – Por Rômulo Renan


A taxa de juros do Brasil vem em queda, está baixa e pode baixar mais. Parece bom, mas pode ser ruim. Mesmo com números baixos o consumo não acelera, fator primordial para se chegar ao emprego. Mas, este tem resultados pífios, são números que passam de zero, pouco, ainda mais porque comparados a anos anteriores que tiveram números baixos, pioram ainda mais o resultado atual.

Tema polêmico, a estatização e liberalismo sempre vão dividir opiniões. No atual cenário brasileiro parece que a estatização está prejudicando. A fatia do governo é alta, paga-se bastante imposto e os gastos do governo são importantíssimos para a economia atual, e quando esse quadro politico-administrativo falha, prejudica de um modo estrutural grave o motor do desenvolvimento econômico-social. Neste âmbito os gastos do governo estão altos e parecem não ter sinais de diminuição efetiva.

Diante de uma taxa básica de juros historicamente baixa, parece ficar uma dúvida no ar, já que é uma grande medida de controle parece estar chegando ao final, acabando a munição que o governo tem de controle. Neste cenário muitas medidas podem ser tomadas, mas é um momento atípico e nebuloso ainda.

Numa tentativa de melhorar o outro lado da moeda, a receita do governo este tenta maximizar a tributação através de incentivos ao fiscais de tributos, mas dados mostram cada vez ser menos produtivo o desempenho ano a ano da Receita Federal. Ao meu ver, a causa não é operacional, não está no modo de fazer, e sim, em que fazer, pois a atividade econômica anda em baixa, vai tributar o que não se produz?

As expectativas ainda são pessimistas ou receosas para ser melhor, fator que é muito importante para a retomada da economia. O ambiente ainda não está propício para o empresário, investidor e até o consumidor fazer dispêndios, precisa-se de maior estabilidade, principalmente por parte do governo, principal causador da atual crise, este que não mostra soluções de médio prazo, dificultando a melhora na confiança como um todo.

Ainda com a chegada das eleições presidenciais o campo político parece ainda mais 'bagunçado', a visão de um presidente, chefe de governo é importantíssima para definições do mercado e investimentos, mas está difícil fazer previsões e principalmente o que esperar do presidente que será eleito neste ano. 

Por Rômulo Renan

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso