.

"Se o nome não serve mais chega e fala, é simples", desabafa Cleiton Barboza

Foto: Paulo Henrique (Agreg Imagem)
Santa Cruz do Capibaribe – Na noite de quarta-feira (28) o empresário Cleiton Barboza (PODE) concedeu entrevista ao Blog do Bruno Muniz e falou sobre o seu posicionamento após o vazamento de áudios que expuseram o seu descontentamento com o grupo político que integra hoje. Ex-candidato a vice-prefeito nas eleições de 2016, Cleiton destacou que entende o momento do partido e deixou transparecer que não há mais espaço para o mesmo na base oposicionista da 'Capital da Moda'.
"Apesar de estar em um partido tradicional sempre tive um posicionamento independente. No áudio deixei bem claro que fui convidado primeiro a disputar a chapa como prefeito, depois fui convidado para disputar como vice e aceitei quando Fernando veio em minha casa e me convenceu a ir para disputa fui claro no áudio, sei que para algumas pessoas do partido a minha saída seria ótimo, mas da mesma forma que veio o convite se o nome não serve mais chega e fala, é simples", desabafou.
Sobre mudança de partido, mais precisamente uma no total, quando foi de uma conjuntura alternativa para complementar o grupo oposicionista, Cleiton disse que isso não feriu as suas ideologias e que deve seguir alinhado com o seu discurso inicial. O empresário ainda ressaltou não fugiria das declarações polêmicas se elas fossem necessárias em um contexto em que o seu próprio grupo, seja ela qual fosse, estivesse errado.
"Eu vejo o eleitor, mesmo o apaixonado, querendo votar em pessoas – aquela ideia de que se colocar qualquer figura o povo vota – aí mora o engano. Por isso busco uma coerência, o que está certo elogio e o que está errado crítico, isso incomoda. Acredito que por essa razão não perdi minha identidade nem minhas convicções, não tenho medo de errar mesmo por que se errei foi tentado acertar, não sou covarde quando tem que prosseguir eu prossigo mesmo que venha prejuízos.
Sobre a publicação dos áudios no WhatsApp, Cleiton disse não se arrepender e que já esperava que o fato repercutiria. Apesar disso, ele enfatiza que procura neste momento uma oportunidade adequada para sentar com Fernando Aragão (PTB), seu companheiro na chapa de 2016, e acertar os pontos para só então fazer um pronunciamento oficial.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso