.

Matança de animais domésticos continua em bairro de Santa Cruz do Capibaribe

Até mesmo cães que vivem presos estão sendo envenenados e mortos.
Foto: Divulgação
Um fato que já se prolonga por semanas está revoltando moradores do bairro Malhada do Meio, localidade situada no município de Santa Cruz do Capibaribe, Agreste de Pernambuco. Na ocasião os residentes da comunidade estão relatando diversos casos de cães e gatos mortos sempre da mesma forma, por meio de envenenamento.

De acordo com um morador local, as substâncias venenosas estão sendo jogadas até mesmo por cima dos muros das residências, provocando a morte de animais que estão presos. Semanas atrás o Blog do Bruno Muniz já havia noticiado suas semanas consideradas trágicas pelos moradores locais, já que na ocasião dezenas de animais foram mortos.
"Quando um cachorro aqui some, a gente já sabe, tá morto em algum lugar. Eu não sei quem é esse sujeito, mas certamente é uma pessoa com muita magoa no coração, porque a pessoa fazer um negócio desse todo dia, não deve ser normal não. Ele já matou mais de 50 cachorros aqui. As crianças choram quando o animal delas é encontrado morto, até a gente que é adulto sente, é como se fosse um membro da família. Uma pessoa que faz um negócio desse com um animal inocente e irracional, faz com um ser humano também", disse um senhor que reside na 1ª Etapa das residências do bairro Malhada do Meio.
Ainda segundo a população local, acredita-se que a pessoa responsável pelos envenenamentos seja um residente local e que o mesmo estaria atacando em série com o objetivo de exterminar toda a população de cães do bairro. Alguns proprietários de cães que foram mortos já tentaram buscar soluções com as autoridades locais, porém não obtiveram sucesso.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso