.

Síndrome do Intestino Irritável


Voltamos com tudo este ano, em postagens que abordarão a ciência da Nutrição aplicada a vida diária e muito mais sobre saúde integral. Iniciamos hoje falando um pouco sobre uma síndrome que tem incomodado muita gente, e poucos sabem o que é e não procuram a devida ajuda para tentar solucionar ou amenizar o problema.


Muitas pessoas têm sofrido de sintomas intestinais no dia-a-dia. Chás, automedicação e outros meios são tentativas por vezes frustradas de se livrarem das dores e dos sintomas que vão desde episódios alternados de diarreias, empachamento a prisão de ventre (constipação). É nessa conjuntura de sintomas, que pode ser diagnosticada a chamada “Síndrome do Intestino Irritável”.

O QUE É A SII (SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL)?
É caracterizada por um padrão de defecação anormal associado a sintomas de disfunção intestinal recorrentes, incluindo desconforto abdominal, alteração da motilidade do intestino, entre outros sintomas como: cólicas, episódios alternados de constipação ou diarreia, gases em demasia, cólicas, sensação de evacuação incompleta, distensão, presença de muco nas fezes, esforço ou urgência para defecar (variante) e associação destes ao desconforto psicossocial. Sintomas e sinais estes que persistem por mais de 3 meses a 1 ano (Krause).

QUAL O TRATAMENTO?
Primeiramente procurar um Especialista (Médico Gastroenterologista) para exames pertinentes e devido diagnóstico. Educação, medicações, orientação e DIETA específica exercem um papel crucial no tratamento.

A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO NUTRICIONAL 
A Nutrição entra junto com o tratamento médico para assegurar a ingestão adequada de nutrientes, ajustar a dieta para potencialidade da alimentação no tratamento dos sintomas da referida síndrome. Podemos citar alguns dos itens que são abordados no planejamento da dieta alimentar para o paciente diagnosticado com a SII (SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL):

- Alimentação planejada e balanceada, que priorize mais fibras e bastante líquido, com algumas restrições como as citadas abaixo. Evitando desta feita quantidades excessivas de Gordura alimentar, cafeína, álcool e açúcares, assim como os alimentos ricos em FOODMAPs;

- EVITAR na 1ª fase da dieta prescrita os alimentos carregados de FOODMAPs, que são os carboidratos de difícil digestão que provocam mais fermentação no intestino (“palavrões” como oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos, polióis fermentáveis) como por exemplo presentes nos grupos abaixo:

- Produtos que contenham Amido e Glúten (Cevada, cuscuz, feijão, centeio,  soja e trigo);

- Temperos industriais, Condimentos e Enlatados (que contenham também: trigo, catchup, cebola, maionese, mostarda);

- Produtos de uso diário com lactose ( Coalhada, queijo, cottage, pudim, sorvete, leite de vaca e iogurte);

- Proteína Animal (Carnes processadas);
- Algumas frutas (Maçã, damasco, abacate, amora, cereja, manga, melancia e outros). [Fonte: Revista Saúde-Ed Abril]


Ressaltando que nenhum alimento deve ser banido sem antes a orientação médica e nutricional de acordo com cada caso e diagnóstico ou não desta síndrome. A evolução dependerá de cada organismo e do devido acompanhamento do indivíduo afetado. Portanto sentir sintomas parecidos procure um especialista e cuide de sua saúde. Boa semana e até mais!

Nutricionista Helder Viegas - CRN6 10289
Especialista em Nutrição Clínica - Especializando em Fitoterapia/Sup. Esportiva
Atende na Clínica Sant’Anna, em Sta Cruz do Capibaribe (3731-4267)


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso