.

Exclusivo – "Se eu ganhar, vou doar", afirma Dr. André Tadeu, autor de mais de 30 ações populares em Pernambuco

Advogado ainda respondeu o vereador Ronaldo Pacas e sustentou que só ainda não abriu mais ações porque diversos municípios encontram-se com portais da transparência precários.
Advogado concedeu entrevista por telefone ao Blog do Bruno Muniz – Foto: Divulgação
Nesta quarta-feira (22) o Blog do Bruno Muniz esteve em contato com o advogado André Tadeu, figura que se tornou conhecida na região após abrir uma série de ações populares contra a Câmara Municipal de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe e de outros municípios. O advogado conversou com o titular deste blog e afirmou que pretende doar os valores dos honorários das ações públicas, caso as ganhe.
"Existem aí (na cidade) debatedores e radialistas da imprensa que dizem que eu vou ganhar R$ 600 mil por essas ações, por isso, queria aqui deixar claro que quero que a população indique instituições sérias e sem fins lucrativos, pois se eu ganhar como eles estão dizendo, eu vou doar tudo para essas entidades. E não é conversa fiada, a população pode acompanhar e recomendar essas instituições, pois eu vou protocolar formalmente isso e irei doar caso ganhe", ressaltou.
André Tadeu também ressaltou os motivos pelos quais passou a abrir as ações. Segundo o mesmo, os erros presentes em portais da transparência favorecem esse tipo de abordagem judicial, e dificilmente a justiça não atentará para isso.
"Existem esses erros, eles estão sempre muito visíveis. Eu tenho hoje umas trinta ações aqui em Pernambuco, duas na Paraíba e uma no Maranhão. Eu só não tenho mais aqui em Pernambuco porque os portais das câmaras e das prefeituras são terríveis", disse.
O advogado ainda ressaltou que reconhece que por muitas vezes é alvo de desconfiança, mas sustentou que para ter acesso ao conteúdo em questão, apenas curiosidade e abrir mão do comodismo já são ferramentas fundamentais.
"Muitas vezes eu sou alvo de desconfiança, pois há quem pense que eu tenho um 'agente espião' aí em Santa Cruz me munindo de informações. Mas, se qualquer pessoa entrar no portal da transparência da câmara irá constatar que todo o ordenamento jurídico estará lá", ressaltou.
Motivação pessoal existe, mas não é núcleo da situação, sustenta advogado

André também se justificou quanto as acusações de estar ultrapassando um limite comum, onde neste trecho da entrevista foi enfático ao afirmar que sabe que as situações em curso o promovem como profissional, mas que isso não é o motivo primordial de todo o processo.
"Existe ainda quem diga que eu estou passando dos limites. Pessoas que dizem que eu apenas querendo me promover, que eu estou apenas querendo buscar os meus honorários. Quanto a isso, é evidente que eu não vou negar que há um cunho pessoal, muito mais no sentido de me promover como advogado do que até os próprios honorários. Eu não quero mudar o mundo, eu não quero salvar Pernambuco, eu só estou mostrando as pessoas que os políticos que elas escolhem muitas vezes não tem o preparo para exercer essa função", disse.
Em determinado trecho de suas falas o profissional jurídico respondeu as declarações do vereador Ronaldo Pacas (PR) que criticou a conduta do mesmo. André T. destacou que até pensou em mover ações pessoais contra algumas pessoas que o criticaram mais duramente, porém regrediu da decisão.
"Assim como esse vereador Ronaldo que disse que eu era um 'mala' e safado, já me chamaram de aventureiro e isso vai além dos limites da crítica. Eu até pensei em mover ações contra essas pessoas, mas depois decidi que não. Não quero entrar nesse campo, não é o meu objetivo", falou.
Advogado diz que concorda que um vereador ganhe bem, mas que isso exige trabalho

Encerrando a entrevista o Dr. André elencou ainda situações que julga serem apropriadas para que um orçamento municipal sofra mudanças. Neste âmbito o advogado pontua que concorda com uma folha salarial mais robusta para os parlamentares, mas que isso exige condições favoráveis.
"Vereador tem direito a receber subsídio? Tem, e quem determina isso é a Constituição. Na medida em que o contingente populacional vai aumentando, aquele vereador tem 'X' por cento de determinado valor de um deputado estadual. Mas mediante a essa faixa é preciso que o legislador municipal vá fazendo as alterações conforme ditam os ordenamentos. Sou muito sincero, as vezes vejo declarações nas redes sociais de pessoas dizendo que vereador tem que ganhar um salário mínimo, eu não concordo com isso. Vereador tem que ganhar R$ 10 mil mesmo, agora tem que trabalhar. O que não pode é o vereador alterar seus ganhos em momento inoportuno", pontuou.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso