.

Mortes por doença do pombo acendem alerta para superpopulação da ave

Santa Cruz do Capibaribe já conta com grande quantidade das aves.
Em Santa Cruz do Capibaribe, população das aves da preocupa – Foto: Blog do Bruno Muniz
Um risco silencioso para a população, a doença do pombo é, na verdade, um fungo conhecido como criptococose, que está presente nas fezes ressecadas desses animais. Essas aves costumam se proliferar rapidamente pelas cidades urbanas.

Na cidade de Santos, em São Paulo, foram confirmadas as mortes de dois homens, que contraíram a doença após inalarem o fungo. E aí é que mora o perigo. O fungo criptococose pode ser liberado no ambiente pela circulação do vento ou, então, quando uma pessoa, varre as fezes do pombo, por exemplo. E aí, ao inalar o fungo, vem febre, dor de cabeça, tontura e cansaço: sintomas semelhantes aos de doenças mais comuns.

Segundo o médicos infectologistas, é importante uma avaliação médica mais detalhada para combater a criptococose. E para quem joga restos de comida para os pombos, essa não é boa escolha conforme recomendam os especialistas. E para quem mora em locais com bastante presença de pombos, é essencial ter cuidados básicos na hora de fazer a limpeza de fezes desses animais.

Santa Cruz do Capibaribe

Em Santa Cruz do Capibaribe, município situado no Agreste de Pernambuco, o aumento das aves já preocupa. Anos atrás era raro ver a presença dos animais na área urbana. Hoje, em locais como por exemplo a rodoviária, os pombos já passam das centenas.


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso