.

Devido a descumprimento de determinação judicial por parte do Governo do Estado, criança com cardiopatia congênita corre risco de vida

Pequeno Isaac que reside em Santa Cruz do Capibaribe já passou mais tempo de sua vida dentro de um hospital do que fora dele.
Foto: Divulgação
Uma família que reside em Santa Cruz do Capibaribe está passando por um momento delicado de vida. Na ocasião, Isaac Oliveira Malaquias, de um ano, precisa de tratamento domiciliar (ou home care) para tratar de uma cardiopatia congênita, porém o Governo do Estado de Pernambuco, responsável pelo serviço, está descumprindo uma ordem judicial.

Isaac, que também é portador de Síndrome de Down, necessita que profissionais se desloquem até a sua residência para acompanhamento constante de sua saúde. Na autorização, o Tribunal de Justiça de Pernambuco concedeu, desde o dia 02 de outubro, o direito da criança ser atendida em casa. Porém, o Governo do Estado não tem cumprido com a determinação.

Desde o dia 10 de janeiro de 2019, a família do pequeno Isaac dispõe de um laudo emitido pelo Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira – IMIP, dando conta da necessidade do garoto dispor dos serviços de 'home care'. A criança passou mais de um ano internado na UTI do IMIP, situação que já gerou imenso desgaste para familiares e para o próprio paciente.

Os pais de Isaac precisaram deixar seus respectivos empregos para poderem cuidar do garoto. Por residirem em Santa Cruz do Capibaribe, fica difícil o translado até o Recife, onde se concentra as unidades de tratamento para o garoto. Para a família, a única coisa que é exigida neste momento é que o Governo do Estado de Pernambuco cumpra com as recomendações da justiça, proporcionando ao garoto o tratamento domiciliar.


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso