.

MPPE aponta que permanência de estudantes não credenciados na UPA de Santa Cruz representa risco aos pacientes

Promotor pede a imediata dispensa dos alunos de curso de Medicina.
Foto: Paulo Henrique (Agreg Imagem)
A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Cruz do Capibaribe enfrenta nos últimos meses uma série de problemas, problemas estes expostos nos últimos dias pela população. Essa semana, uma nova recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicitou a imediata dispensa de estudantes de medicina estrangeiros que estão atuando na unidade.

O MPPE recomendou ao prefeito, Edson Vieira (PSDB); ao secretário de Saúde, Dr. Nanau Marques e ao médico chefe Tiago Costa de Almeida, que abrissem mão de maneira imediata dos estudantes de medicina que estão atuando na UPA, na maioria dos casos, realizando atividades cujo não estão capacitados para exercer.

Na ocasião, havia um convênio entre alunos da Universidade de Aquino Bolívia (UDABOL) e o Hospital Municipal Raimundo Francelino Aragão, porém os alunos estão atuando na UPA. Atualmente o Hospital Municipal encontra-se com atividades limitadas, sendo destinados a maioria esmagadora dos atendimentos para UPA local.

Foi promessa de campanha de prefeito Edson Vieira, em seu primeiro mantado, a construção de um novo hospital, porém hoje apenas a UPA lida com as urgências que ocorrem na cidade, não havendo outra unidade que suporte a maioria das demandas locais. Para o MPPE, a mudança no local de atividade dos estagiários foi indevida.

Para o promotor Lúcio Carlos Malta Cabral, responsável pela recomendação, a atuação dos estudantes coloca em risco a saúde e integridade física dos pacientes que procuram atendimento na unidade.


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso