.

Jornalista Alexandre Farias que foi atingido por uma bala perdida em Setembro de 2017 segue em recuperação e afirma ter perdoado quem fez isso com ele

Foto:G1
Há um ano, Alexandre Farias, de 40 anos, voltava para casa após apresentar o ABTV 2ª Edição quando foi atingido na cabeça por uma bala perdida em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O jornalista, que está se recuperando das sequelas do incidente no Recife, contou ao G1:
"Eu perdoei quem fez isso comigo", disse.

Sobre perdoar o criminoso que efetuou o disparo de arma de fogo, o jornalista é firme ao dizer que o "perdão traz paz para o coração" e que "é importante buscarmos a paz de espírito".

"Eu não tenho revolta da vida. Eu não tenho raiva de ninguém. [O que aconteceu comigo] foi um fato. Eu passava no local. Foi um incidente. [O tiro] não foi direcionado para mim. Talvez a pessoa [que atirou] nem saiba o que fez", destacou.

Alexandre atualmente mora em um apartamento da família, na capital pernambucana. O imóvel fica próximo das casas dos parentes, dos hospitais e clínicas. No local, ele contou que os últimos meses têm sido de muita reflexão.

"Eu pude ver com quem e como eu posso contar, seja família ou amigos. Não foi um período fácil, mas eu estou vencendo. Entendo que é um processo lento, mas eu estou otimista. Eu já vejo resultados positivos na minha recuperação", ressaltou o jornalista.

Ao G1, ele detalhou o que lembra do dia em que foi atingido pela bala.

"[Na hora do tiro] eu apaguei. Eu só lembro que saí da TV, peguei o carro e fui para casa. Depois disso, só lembro do barulho dos aparelhos no hospital. Passei um período desacordado e outro acordado".

Alexandre Farias voltou a tomar 100% da consciência ao acordar após a realização da cranioplastia.

"Acordei com uma torcida na minha frente. Eram os médicos, um batalhão que trabalhou por mim. Quando eles disseram: 'Alexandre?'. Eu respondi: 'Oi!'. Depois eles deram um grito. Parecia que eu tinha feito um gol. E foi um gol, mas de consciência. Eles tinham visto que a cirurgia tinha dado certo, que a prótese tinha funcionado", recordou.
Foto: TV Asa Branca/Reprodução
O jornalista disse que está consciente e não esqueceu de ninguém. Ele se lembra quem são os cinegrafistas, produtores e demais amigos da TV Asa Branca, sua segunda casa e família, como ele gosta de dizer.

"Sei onde fica a TV, no [bairro] Pinheirópolis, sei que na frente tem a rodoviária, sei onde moro, da minha infância, que vivi e cresci na cidade de Escada e que depois vim para o Recife, sei que sou jornalista e que estou à frente do ABTV 2ª Edição", afirmou.

Alexandre explicou que tem passado por muitas etapas e que todas elas têm sido muito dolorosas. No entanto, ele está visando o bom resultado do tratamento. O jornalista está sendo acompanhado por uma fisioterapeuta, que faz sessões diárias de uma hora de duração, um psicólogo, fonoaudiólogo, nutricionista e clínico geral.

Mostrando que continua com o senso de humor característico dele, Alexandre brincou ao dizer que agora está "comendo bem como um cavalo" e que sente saudades de comer crustáceos - único alimento ainda proibido pelos médicos.

Sobre a mensagem que fica após enfrentar tantas dificuldades nos últimos 365 dias, Alexandre é direto:

"Nossa vida é como uma vela, basta um sopro para acabar. Nós somos frágeis, não sabemos o dia de amanhã. Por isso, aproveitem o hoje intensamente. Liberdade com responsabilidade, como dizia minha mãe. Levem de lição a minha história e vivam. Liberdade com responsabilidade. Não esqueçam disso".
Fonte: G1 

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso