.

Editorial: "O que esperar, quando você está esperando" — Por Bruno Muniz

Em 2012, Kirk Jones misturou drama, comédia e romance no filme "O que esperar quando você está esperando", uma leitura da vida de casais que buscam juntos a maternidade, seja por meio da geração ou adoção de um filho(a). Hoje, utilizo este mesmo drama das telas do cinema para contextualizar o nosso atual momento político vivenciado em todas as esferas.

Está claro para mim que o sentimento que mais domina os habitantes do Brasil e de nossa região é a dúvida e o temor do país que está sendo gerado. Os sentimentos de esperança misturam-se com uma forma descarada de se fazer política. O curioso é que aparentemente ela ainda não apenas convence, mas move as pessoas.

É difícil falar de responsabilidade, já que todos temos pelos nossos próprios atos. Mas quem dera se os que vivem de promessas e fazem das mesmas profissão pudessem, em uma lapso de sensibilidade, assumir em algum momento que não são capazes de sanar as dores de um povo.

Os mesmos políticos que defendem a educação e a melhoria da qualidade de vida para as crianças estão fechando os olhos para os veículos abarrotados de menores de idade durante os eventos "mícios", estes de onde crianças caem de automóveis e morrem. Se essa é a forma atual de se fazer a 'coisa pública', existe algo muito errado em quem deveria atentar para estas questões.

E por favor, não me venham rebater com notas frias e vazias. Caso desejem, tragam-me em suas mãos argumentos solícitos, sem demagogia. Se suas palavras não forem suficientes para justificar a ausência de uma vida que se perdeu de maneira banal através de vossa irresponsabilidade, guardem-as para si.

Sobre a abertura desse texto e o seu respectivo tema. Estamos esperando por algo maior ao mesmo tempo em que não temos o básico. A construção de uma sociedade realmente politizada não se resume em eventos políticos. Enquanto acreditarmos nisso, estaremos regredindo. Estamos tentando acertar cometendo os mesmos erros na expectativa de gerar um país melhor de se viver. O problema é que uma sociedade justa não se gera sob expectativas/espera e sim por planejamento lógico, mudança de conduta e ações.

Para os esperançosos nas mudanças que provém do atual sistema político, e indo agora de Hollywood ao Sertão, palavreando o grande poeta popular Accioly Neto na canção "A Natureza das Coisas"; "amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada".

Por Bruno Muniz


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso