.

Imagens: Estrutura dificulta segurança em presídio de Santa Cruz do Capibaribe

Guaritas não oferecem estrutura de trabalho adequada para os agentes vigilantes – Foto: Divulgação
Em imagens que circularam nas redes sociais no último final de semana, fica clara a dificuldade vivenciada todos os dias pelos agentes penitenciários e seguranças de guaritas da unidade prisional de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste. Em filmagens supostamente feitas por um agente é possível ver a falta de visibilidade e ausência de outros atributos básicos para uma conformidade no trabalho de vigilância, excepcionalmente noturna.

A nossa equipe teve acesso, com exclusividade, ao conteúdo que revela este agravante, isso dias após uma rebelião que resultou na morte de um interno e deixou pelo menos treze feridos. Atualmente o presídio é um dos mais superlotados da região somando mais de 455 reeducandos. O detalhe é que a unidade só possui capacidade estrutural para cerca de 184 detentos, número extremamente inferior ao atual.
'Pontos cegos' facilitam arremesso de materiais ilícitos para dentro do presídio – Foto: Divulgação
O vídeo que o blog exibe abaixo foi produzido durante o período noturno e expõe principalmente a visibilidade limitada para fora das guaritas, além de vários pontos sem visibilidade alguma, os populares "pontos cegos". Esse cenário favorece diretamente a entrada de entorpecentes, aparelhos celulares e até mesmo armas que eventualmente podem ser arremessadas para o interior dos muros da unidade que fica situada às margens da rodovia PE-160.

Com proximidade do Moda Center Santa Cruz e da zona urbana, o presídio é, hoje mais do que nunca, um motivo de preocupação real e constante para os moradores que residem nas imediações do mesmo.


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso