.

Guias cobram soluções quanto a oferta de notas fiscais

Profissionais de estados, como MA, PI, PA, BA, MG, ameaçam deixar de vir a Pernambuco caso a problemática da baixa emissão de notas fiscais continue - Foto: Assessoria do Moda Center Santa Cruz
Aconteceu na manhã desta segunda-feira (30), no Moda Center Santa Cruz, uma reunião com mais de 50 guias de excursões de diversos estados brasileiros. Mais uma vez, a baixa emissão de notas fiscais por parte dos comerciantes da região foi o principal ponto da pauta.
 Foto: Assessoria do Moda Center Santa Cruz
Os guias, em sua maioria do Maranhão, Piauí, Pará, Bahia e Minas Gerais, alegam que estão pagando multas altíssimas nos postos fiscais ao longo do trajeto para suas cidades.
 Foto: Assessoria do Moda Center Santa Cruz
Segundo eles, se os comerciantes da região não formalizarem suas empresas, passando assim a oferecer as notas fiscais dos seus produtos, os guias migrarão em grande número para centros concorrentes, como Goiana (GO) e Fortaleza (CE).

“É preciso que haja a colaboração de todos. Além da conscientização feita pelo Moda Center, é preciso que seja feita a parte do Estado; a parte do próprio cliente exigindo do vendedor a nota fiscal e, principalmente, a parte do comerciante organizando o seu negócio para poder dar a nota”, disse Iran Nogueira Dantas, vice-presidente da AGTURCO-MA/PA (Associação dos Guias de Turismo Comercial no Norte e Nordeste).
Já o guia de excursão Aparecido Rodrigues, de Montes Claros (MG), lamentou os últimos acontecimentos que resultaram na realização de protestos e bloqueio na rodovia que dá acesso a Santa Cruz. “Lamentamos ter que chegar a esse ponto. O que gostaríamos mesmo é que fossem emitidas as notas para que a gente possa viajar com tranquilidade, sem ser penalizado na estrada”, disse.

O síndico do Moda Center, Allan Carneiro, reiterou os esforços que a administração tem feito em busca de resolver a situação dos clientes e, ao mesmo tempo, contribuir para o crescimento dos pequenos confeccionistas.

“Nós compreendemos a situação dos clientes e guias e excursões. Por isso, criamos a estrutura da Sala do Empreendedor, onde disponibilizamos um colaborador do parque para fazer a formalização dos pequenos comerciantes de forma gratuita. Nessa sala também oferecemos vários serviços, como impressão de notas fiscais, consultorias e até mesmo linhas de crédito, por meio dos nossos parceiros. Temos feito a nossa parte e esperamos contar com a colaboração do comerciante. E também estamos no aguardo do que foi prometido pelo Estado: um regime tributário específico para o Polo de Confecções e uma estrutura de apoio aos empreendedores do setor, beneficiando todos os envolvidos na cadeia têxtil”, disse Allan.
Informações da Assessoria


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso