.

CPI decide por ouvida de testemunhas

Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga supostas irregularidades ocorridas no Calçadão Miguel Arraes de Alencar opta por ouvir envolvidos
Foto: Bruno Muniz
Durante a manhã desta segunda-feira (29), os que vereadores que compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) responsável pelas investigações de supostas irregularidades na distribuição de boxes no Calçadão Miguel Arraes de Alencar, estiveram reunidos com o objetivo comum de dar andamento em mais uma etapa do processo investigatório instaurado pela Câmara Municipal.

Na ocasião, o presidente da CPI, José Bezerra da Costa (Zé Minhoca - PSDB), conduziu os trabalhos em cima de uma denúncia que foi dividida em duas etapas, sendo uma em relação a suposta falsificação de documentos e a outra norteada na distribuição dos boxes do Calçadão.
Vereador Ernesto Maia se disse satisfeito com o andamento dos trabalhos até então - Foto: Bruno Muniz
Mediante a leitura da ata, o vereador Ernesto Maia (PSL) ressaltou que a ouvida das testemunhas seria algo de fundamental importância nesta fase final do andamento da CPI, onde só então poderá ser tomado um posicionamento concreto sobre a mesma. Com uma interrupção, Ernesto solicitou ainda a presença de uma documentação proveniente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, esta que tem em seu comando o gerente de Indústria e Comércio, Bruno Bezerra.
''Foi solicitado que enviassem o cadastro das pessoas que ganharam boxes no Calçadão, bem como o cadastro que foi usado para que essas pessoas tivessem esses pontos. Para saber se as pessoas que estão lá, foram as pessoas que tinham, de fato, direito aos pontos'', cobrou o vereador oposicionista.
A não presença da documentação de cadastro na reunião de hoje teria uma justificativa, já que segundo a gerencia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, os documentos não estariam aptos para serem enviados pois somavam aproximadamente 8 mil páginas, um número exorbitante para impressão em papel ofício.

Apesar da petição dos documentos de cadastro, Ernesto se disse satisfeito com os rumos que a CPI tem tomado, parabenizando inclusive o presidente da mesma por optar pela ouvida das testemunhas envolvidas no caso. A fala do vereador foi uma clara referência a outra CPI presidida pelo vereador Klemerson Ferreira (Pipoca - PSDB), esta que foi encerrada na semana passada sem ouvir os envolvidos.
Reunião desta segunda (29) não contou com a presença de advogados - Foto: Bruno Muniz
Luciano Bezerra (PR), também integrante da CPI, ressaltou que considera importante a ouvida de depoentes neste caso, caracterizando a claridade da comissão investigatória. A princípio serão ouvidas duas pessoas, uma terceira até foi sugerida pelo vereador Ernesto, mas o presidente, Zé Minhoca, solicitou que primordialmente fossem ouvidas apenas os dois indivíduos que possuem clara ligação com o empreendimento em questão.

O próximo encontro da CPI acontece já na próxima sexta-feira (04), às 9h, com a ouvida de testemunhas.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso