.

Enfim, descansou em paz

Duas semanas após ser encontrado morto da Inglaterra, estudante de Gravatá é enterrado no seu município


O corpo do estudante pernambucano Ivson Nunes foi enterrado na tarde deste domingo (30) no Cemitério Santo Amaro, em Gravatá, Agreste de Pernambuco. Familiares e amigos acompanharam o sepultamento do jovem encontrado morto na Universidade de Lincoln, na Inglaterra.

O velório ocorreu no Instituto Nossa Senhora de Lourdes, conhecido como Escola Salesianas, onde Ivson já havia estudado. O corpo dele chegou em Gravatá durante a madrugada deste domingo.

Custeio do traslado
A Universidade de Lincoln - na Inglaterra - afirmou ao G1 na terça-feira (25) que iria Universidade na Inglaterra oferece pagar traslado do corpo de estudante arcar com 100% do custeio para o traslado do corpo do jovem pernambucano, encontrado morto no campus da instituição. O corpo dele foi encontrado no domingo (16). A polícia ainda investiga a causa da morte. Um laudo deverá ser emitido em até dois meses.

O Itamaraty informou, em nota, que "auxiliou a família a buscar a melhor forma de fazer o traslado do corpo, intermediando o contato com as autoridades locais e a Universidade. A instituição se dispôs a arcar com o custo do traslado até Recife, e a família optou por receber esse apoio". À época do fato, o Ministério das Relações Exteriores declarou "não haver previsão legal para custeio de traslado de corpo com recursos públicos".

Ao G1, a Universidade de Lincoln destacou que "se ofereceu a pagar 100% do custo do traslado" e lamentou a morte de Ivson Nunes.
"Toda a comunidade universitária ficou entristecida com a morte de Ivson e gostaríamos de expressar nossas sinceras condolências à família e aos amigos dele. Qualquer apoio financeiro exigido pela família para levá-lo para casa será fornecido pela universidade, em ligação com o escritório do legista local e a Embaixada do Brasil", declara o porta-voz da instituição.

Entenda o caso
O jovem 26 anos foi encontrado morto no campus da Universidade de Lincoln, na Inglaterra. A família dele mora em Gravatá, Pernambuco. De acordo com a mãe do rapaz, Ivson Nunes estava na Inglaterra há um ano e um mês e participava do programa "Ciência sem Fronteiras". Ele estudava Design na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), campus de Caruaru. A passagem de volta ao Brasil estava marcada para o dia 5 de setembro.

Também segundo a mãe de Ivson, o corpo foi liberado na quarta-feira (19) e desde então o traslado do corpo ainda não tinha sido acordado entre o consulado e a família.
"Meu filho era uma pessoa muito centrada. Tinha muitos projetos e já estava com a passagem comprada", afirma a dona de casa Isis Oliveira.
Ivson Nunes era o único filho da dona de casa, que tem como única fonte de renda a aposentadoria do marido.
"Meu filho viajou para estudar, não para passear. Quero poder trazer meu filho de volta, mesmo que não possa abraçá-lo. Traga meu filho para sepultar aqui", contou ao G1.
Em nota, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) lamentou a morte do estudante.
"A causa da morte não foi divulgada pela polícia britânica. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) já está tomando as devidas providências para trazer o corpo de Ivson Luna Nunes de volta ao Brasil", informa a instituição.

Entretanto, a Capes informou no mesmo dia, também por meio de nota, que aguardava "o posicionamento da polícia britânica e a formalização pelo Itamaraty para providências cabíveis a respeito da repatriação do corpo do estudante, procedimento padrão adotado para esses casos".
| G1 PE |

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso