.

Diário News – "É uma candidatura consolidada", sustenta José Augusto Maia sobre 2018

Político descartou, veementemente, dividir palanque com Edson Vieira, falou sobre aliados e posicionamentos dos mesmos para com as reformas e defendeu nome de Carlinhos da Cohab como líder dos oposicionistas na Casa Dr. José Vieira de Araújo.
Ex-deputado e filho estiveram nos estúdios da Santa Cruz FM – Foto: Jean Pierre (Rádio Santa Cruz FM)
Na manhã desta terça-feira (19) o programa Diário News – Rádio Santa Cruz FM 98,5 – recebeu o ex-deputado José Augusto Maia (PODE) juntamente com o seu filho, o advogado Tallys Maia, estes que estiveram tratando de alguns temas referentes a política local, excepcionalmente o que diz respeito as eleições do próximo ano.

Inicialmente, José Augusto Maia detalhou acontecimentos dos últimos anos como sendo a justificativa cabível da ideia de sua candidatura a deputado estadual. José Maia tomou como exemplo as eleições do último ano, onde sustentou que apesar da derrota nas urnas o grupo saiu fortalecido do pleito.
"Desde a campanha para prefeito de Fernando Aragão, Cleiton Barboza e todo o nosso grupo político, naquele tempo já houve um acordo, onde nós faríamos um acordo, eu retiraria a candidatura de Cleiton, fazendo a chapa única. Não vencemos a eleição, mas tivemos um grande exito, tanto é que as apostas que faziam os nossos adversários, perderam todas", disse.
Ainda sobre a candidatura, José Augusto sustenta que o seu posicionamento sobre tal é imutável, sendo este o seu principal objetivo político para os próximos anos.
"É uma candidatura que já vem há tempos consolidada. Claro, tem o período de registro, ainda é pré-candidatura, mas, tudo está correndo bem. Já estou andando em toda uma região, fazendo contatos com personalidades dessa região e acreditamos que poderemos – embora as campanhas nunca sejam fáceis – chegar a uma cadeira na Assembléia Legislativa de Pernambuco", disse o político.
"Não há possibilidade", diz sobre possível nova aliança com Diogo Moraes.

José Augusto também não exitou em falar de Diogo Moraes (PSB), deixando transparecer claramente que o mesmo não é bem-vindo no grupo oposicionista mediante o seu afastamento do atual grupo de situação.
"Sabemos o quanto Diogo junto com o seu grupo político em Pernambuco tentou me tirar do meio político. E ele me tirou até, onde na última campanha para deputado federal ele junto com Eduardo Campos me colocou para fora do páreo, até porque queriam me comprar, eu não quis. Eu junto com um cara como Diogo Moraes não há possibilidade. Ele foi uma pessoa que saiu daqui (do grupo) só para nos prejudicar. Então se ele hoje se diverge lá com Edson Vieira, que procure outro caminho, no grupo Taboquinha não", ressaltou.
Dentre outros temas, convidados falaram sobre candidatura de José Maia em 2018 – Foto: Jean Pierre (Rádio Santa Cruz FM)
"Eu não subo com Edson Vieira", sustentou sobre os palaques de 2018.

Questionado sobre a posição em relação a Edson Vieira (PSDB), onde hoje o mesmo vivencia um notável afastamento do governador do estado, José Augusto foi instigado a falar sobre o recente evento da Oposição em Pernambuco, onde o mesmo foi, porém não compôs a mesa onde inclusive Edson Vieira estava.
"Eu compareci, fui observar, não fui algo que fui para fazer parte da mesa', disse o ex-deputado ao ser interrompido com a lembrança de que Edson estaria justamente na mesma mesa integrando o quadro de políticos do evento. Neste contexto, José Augusto retrucou: "Eu não subo com Edson Vieira. Não tem jeito, não dá. Eu tenho uma maneira de fazer política até hoje e tenho lado, tenho trabalho. Para que, sujar a água e depois ficar bebendo, eu não. Eu sempre estive aqui", explicou.
As polêmicas reformas conduzidas pelo Governo Federal e respectivamente votadas por aliados do político também não ficaram de fora da discussão. O ex-deputado falou sobre as mesmas e afirmou que também mantido diálogo com os políticos que ocupam cargos em Brasília e foram apoiados pelo gruo oposicionista local.
"O tempo vai dizer (se as reformas são totalmente ruins ou boas para a população). Mas a reforma mais apurada e que o Brasil espera da classe política é a reforma da previdência. Essa que inclusive o Teobaldo já se posicionou contra, ele já veio aqui em alguns programas da cidade e em entrevista se disse contra a reforma da previdência. No caso de Armando Monteiro a reforma tem que passar primeiro pela Câmara Federal para poder ir para o senado. Quando eu conversei com Armando tempos atrás ele afirmou que essa reforma não passaria, a que o governo colocou, eles ainda não votaram nela", destacou.
Para o futuro, nomes como o de Teobaldo foram postos em cheque no que diz respeito a aprovação e respectivo apoio de alguns vereadores. Neste cenário José Augusto alega que irá tentar convencer que o grupo deve votar fechado. Mas, sustentou que não deve pesar as mãos sob os que discordarem do mesmo.
"Eu tenho tentando e mostrado uma realidade, que nós não ganhamos as eleições mas tivemos um grande exito pela união do grupo. Vou tentar até o fim, pedir que sejamos coesos todos, unidos, tanto para estadual como para federal. E isso o que eu vou tentar. Agora, se não quiser não tem problema, não vou forçar ninguém, acho que cada um tem o seu direito", ressaltou.
O deputado encerrou a entrevista fazendo a defesa do nome de Carlinhos da Cohab (PTB) para assumir a liderança da bancada oposicionista no próximo ano.

Assista a entrevista completa:


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso