.

Veículo utilizado para raptar criança em Panelas aparece sendo comercializado em grupos do Facebook

Caso também deverá ser investigado pela Polícia Civil.
Fotos: Reprodução
O distrito de Cruzes em Panelas, no Agreste de Pernambuco, ainda vivencia momentos de apreensão pelo desaparecimento da pequena Flaviana da Silva Moreira, criança de 3 anos que foi raptada por homens armados no último dia 24 de dezembro.

A Polícia Civil está encarregada das investigações e nesse meio período muitas informações, em sua grande maioria falsas, já surgiram. Uma das informações desmentidas pela polícia é a de que a menina estaria em Jurema, também em Pernambuco. Ficou comprovado que o relato era falso.

Diante das informações improcedentes alguns outros fatos começam a aparecer e intrigam policiais e jornalistas. Um dos mais recentes foi registrado nesta quarta-feira (27), onde internautas encontraram em grupos das redes sociais supostamente o mesmo automóvel que aparece como sendo o transporte utilizado para raptar a menor.

Em um dos grupos do Facebook, o carro é exposto por um vendedor aos usuários residentes na cidade de Paranatama. O valor solicitado pela compra do veículo – R$ 5.500,00 – também tem gerado especulações, tendo em vista que o vendedor em questão também oferece acessórios inclusos.
Fotos: Reprodução

Vale salientar que a publicação do veículo como produto de venda aconteceu vários dias antes do caso registrado com a criança no município de Panelas. Em imagens de circuitos externos de segurança onde a criança aparece sendo levada, é possível fazer comparativos milimétricos com o automóvel comercializado nos grupos, a exemplo do tipo, aparência e a posição dos adesivos e acessórios, e até mesmo um parte de uma das portas amassada, sendo mesmo este o automóvel posto para venda nas redes sociais.

Ex-dono localizado

O ex-proprietário do veículo foi localizado e afirmou que teria vendido o automóvel a pouco mais de uma semana, porém alegou não ter informações concretas sobre a identidade do comprador.

Neste primeiro momento a PC aponta que o crime possui características de premeditado, já que os homens acusados de levarem a criança teriam solicitado água para beber no imóvel onde a menor residia e em seguida a levaram, ameaçando ainda a mãe da criança com uma arma de fogo no momento em que ela tentou impedir que Flaviana fosse raptada.

Informações falsas

Outra infinidade de relatos também foram divulgados nas redes sociais nesta quarta, inclusive dando conta do reaparecimento da menina em outras localidades. Apesar disso, todos foram checados e desmentidos pelas polícias Militar e Civil. Para a família a dor e a expectativa ainda predominam nos últimos dias, como mostra a reportagem da TV Jornal Interior. Veja abaixo:



Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso