.

"Desde janeiro a prefeitura está me massacrando", desabafa vendedor ambulante

Paulo Goes tido como um vendedor folclórico está enfrentando problemas devido a localização do seu comércio.
Foto: Reprodução
Um relato feito por um vendedor ambulante que atua em Santa Cruz do Capibaribe comoveu internautas essa semana. Paulo Goes que vende importados há anos na Avenida 29 de Dezembro, no Centro, está enfrentando problemas no que diz respeito a desapropriação de áreas públicas pela Prefeitura Municipal.

Embora esteja fora dos padrões regidos pelo órgão público quando ao contexto das áreas públicas para o comércio informal, o vendedor alega que até tentou ter uma conversa com o prefeito do município, Edson Vieira (PSDB), porém sem sucesso até então. Paulo que já passou pelo sistema penitenciário e hoje vive uma vida reabilitada alega que lhe restou apenas uma alternativa, vender bens no intuito de quitar dívidas.
Manda quem pode, obedece quem tem juízo. Não só é ir lá falar com Edson, como se ele fosse me atender. Já tentei de todas as formas comove-lo, sem resultado. Eu só estou vendendo o que me resta, porque foi a forma que achei de quitar alguns débitos. As outras duas opções eram: pedir ou roubar. Pedi emprestado, ninguém me emprestou, não vou roubar pois não aguento mais cadeia. A minha última opção é ficar na frente da igreja católica pedindo esmola. Falar é fácil, desde janeiro a prefeitura está me massacrando, – disse.
O relato foi compartilhado diversas vezes em uma rede social e revoltou alguns seguidores do vendedor e artista de rua. O destino do vendedor ainda é incerto.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso