.

O que a população de Santa Cruz do Capibaribe tira da greve de fome de Clodoaldo Barros

Foto: Paulo Henrique (Agreg Imagem)
Encerrada na noite desta terça-feira, 15, a greve de fome do popular por nome de Clodoaldo Barros foi destaque em diversos jornais da região e em noticiários locais. Cobrando uma série de questões, Clodoaldo passou uma média de 60 horas ingerindo apenas água, a espera de uma resolução com os vereadores do município de Santa Cruz do Capibaribe.

Alegando estar em defesa da população e dos seus direitos, Clodoaldo não teve apoio daqueles que defendia nas primeiras horas de seu protesto silencioso. Nas redes sociais, multiplicavam-se as críticas ao mesmo com base no descrédito para com os vereadores. "Louco", "imbecil" e até mesmo comentários afirmando que o mesmo estava "querendo aparecer" ganharam a rede.

Passadas 20 horas de protesto, algo começou a mudar. De maneira discreta, pessoas surgiam na calçada da câmara, onde o cidadão realizava o seu manifesto. Entre conversas e questionamentos de curiosos, Clodoaldo teve companhia em diversos momentos, podendo dividir os seus objetivos com os que o procuravam.

Talvez comovidos com a imagem do homem solitário sentado em um banco de praça, já ao amanhecer, os comentários nas redes sociais sofreram uma mutação. Aparentemente cansado, Clodoaldo seguiu recebendo a presença de populares. Mais rodas de conversa e até mesmo imagens foram solicitadas com o mesmo por parte de gente que passou pelo local.

Após o meio-dia, horário em que muitos faziam a sua segunda ou terceira refeição do dia, Clodoaldo afirmou que, mesmo após 36 horas de fome, permaneceria até que suas petições fossem atendidas. Intacto em seu posto, o manifestante despertou enfim a atenção de parte do quadro de vereadores que resolveu abrir o diálogo.

Mesmo ridicularizado por uma grande maioria, Clodoaldo conseguiu, sozinho, o que o grupo oposicionista na 'Capital da Moda' não conseguiu em anos; Arrancar da Presidência da Câmara uma garantia de que o Relatório Final da CPI que investigou supostas irregularidades na distribuição de bancos no Calçadão Miguel Arraes de Alencar será entregue à população. Esta foi apenas uma das reivindicações atendidas. Clodoaldo Barros mostrou que, embora não aparente, o poder e o direito está nas mãos dos que realmente o querem ter.
Foto: Bruno Muniz (Agreg Imagem)
Por Bruno Muniz

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso