.

Coluna do Eliton Araújo: Especial São João 2017


A coluna de hoje vem dividida em 3 versões (1.0 - 2.0 - 3.0), fatos ocorridos essa semana principalmente envolvendo o São João da Moda não poderiam ficar de fora do olhar dos leitores. Os fatos que iniciaram as polêmicas do São João foram percebidos já na noite do cantor Bell Marques (abriu o show com o lema da campanha Vieira). Os meios de comunicação que estavam realizando os seus trabalhos foram ignorados porque muitos ‘favorecidos’ que fizeram as suas fotos para postar nas redes sociais.

Ainda em tempo, comento sobre a relação dos vereadores de Oposição com os deputados e senadores que votaram favoráveis as reformas de Temer (se continuar, muitas outras passarão...) alguns já terão que engolir o discurso de não apoiar determinado político. Armando Monteiro e Ricardo Teobaldo deve ser, de fato, as lideranças que vão pleitear votos aqui.

1.0 – Segundo os próprios membros da imprensa, a relação entre correligionários e segurança do evento impediu que os repórteres pudessem levar aos ouvintes a tão aguardada entrevista do cantor Bell Marques. Diante da troca de acusações entre organizadores do São João e os companheiros da imprensa, o que acarretou em discussões em grupos de WhatsApp, foi perceptível a insatisfação das emissoras de rádio que tiveram seus trabalhos interrompidos por ‘meros favorecidos’, que ainda zombavam da imprensa.

2.0 – Ainda em clima junino, a cobrança do vereador Júnior Gomes (PSB) que, na cara do Chefe de Gabinete e da líder do Governo na Câmara, Jéssyca Cavalcanti (PTC), teve a audácia de exigir que a Prefeitura Municipal sob liderança do prefeito Edson Vieira (PSDB), realizasse um evento semelhante para prestar contas do São João da Moda de 2017. O interessante foi que o vereador citou que nem a gestão de Edson e nem outras gestões estiveram a preocupação em levar ao conhecimento esses investimentos que são astronômicos. No tempo de hoje, isso pode ser caracterizado como uma insatisfação (racha) dentro de um grupo inchado e que não consegue agregar nomes que se afastaram após as eleições.

3.0 – E não é que o puxão de orelha dado por Zé Augusto nos vereadores serviu de alguma coisa. O discurso agora, contra os deputados e senadores que foram favoráveis as reformas propostas pelo Governo Michel Temer (PMDB) e que em outrora eram tidos como inimigos, sendo chamado até por alguns vereadores de ‘safado’. O discurso agora é de que 2018 só será discutido em 2018. Será que a vereadora Jéssyca Cavalcanti estava com a razão ao chamar os oposicionistas de frouxos? O fato é que iremos aguarda mais alguns dias para saber se a vereadora estava certa.

Por Eliton Araújo

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso