.

Câmara de Vereadores de Taquaritinga do Norte e Prefeitura Municipal aderem a Paralisação Nacional na sexta-feira

Foto: Assessoria de Comunicação
Na manhã desta quinta-feira (27) o presidente da Câmara de Vereadores de Taquaritinga do Norte resolveu aderir à Paralisação Nacional que ocorrerá nesta sexta-feira (28) contra as reformas propostas pelo Governo Federal.

Confira a nota da Câmara:
Em um ato de intenso protesto contra as reformas Trabalhista e Previdência que tramitam na Câmara dos Deputados, diversas categorias trabalhistas irão aderir à greve geral que acontecerá próxima sexta-feira (28) e promete parar todo o país.

A Câmara Municipal de vereadores de Taquaritinga do Norte também fará adesão às manifestações interrompendo os trabalhos legislativos no próximo dia 28, dessa forma oportunizando reflexões sobre o momento histórico pelo qual o país esta passando, por acreditar que o ato é de fundamental importância para o processo democrático, como afirma o presidente da Casa Legislativa, Eraldo de Pedra Preta: “Não podemos permitir que direitos arduamente adquiridos através de um processo democrático, sejam retirados dessa maneira. Sem grandes esforços é possível perceber o quanto estão buscando acabar com os direitos das mais diversas categorias de trabalhadores, por isso decidimos que vamos aderir à greve geral, é momento de unificar forças, de propiciar reflexões e com nossos atos chamar a atenção do país para os reflexos destas reformas que estão em tramitação”, ressaltou o presidente.

Comungando do mesmo pensamento, o vice-presidente da Câmara Municipal, Professor Jurandi, também destacou: “Precisamos manifestar com firmeza nossa posição em relação às reformas trabalhista e previdenciária, vivemos um grande momento na história do nosso país e não podemos ficar à margem, como se nada estivesse acontecendo!”, afirmou o parlamentar.

O direito de greve encontra-se assegurado na Constituição Federal, em seu artigo 9º, e regulamentado pelo artigo 1º da Lei Federal nº 7.783/89 quando diz: “fica assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores à oportunidade de exercê-lo e os interesses que devam por meio dele defender”.Dessa forma, logo é possível compreender que é totalmente legal a paralisação dos trabalhos legislativos.
A Prefeitura Municipal também declarou que irá aderir à paralisação. Na manhã de hoje, o prefeito Lero Ivanildo (PR) informou através de um decreto que iria seguir as paralisações.


Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso