.

Com palestra, Escola Estadual realiza início do supletivo em presídio de Stª Cruz do Capibaribe

Foto: Fablicio Araújo (Cortesia)
Na manhã desta segunda-feira (06) a vereadora e diretora da Escola Estadual Adílson Bezerra esteve no presídio de Santa Cruz do Capibaribe para dar início ao supletivo de ensino fundamental e médio com detentos da unidade prisional local.

De início não houve a aula propriamente dita, porém, a vereadora contou com a presença de dois advogados que tiraram dúvidas dos detentos sobre direitos e deveres que os mesmos dispõem mesmo estando em cárcere. Lucimário Alcântara e Lucas Barbosa conversaram com os detentos sobre a audiência de custódia.

Para o advogado Lucas, o aprendizado dentro do presídio representa mais uma oportunidade para que os mesmos possam sair de lá ressocializados.
“É um projeto que tem muita repercussão, ajuda muito os detentos porque a cada 12 horas de aula reduz um dia de pena, e ajuda eles a saírem mais qualificados e mais rápido daqui, além de ajudar os mesmos a serem reinseridos no convívio social”, frisou.
Foto: Fablicio Araújo (Cortesia)
Ainda em questão, o advogado comentou sobre as duvidas que serão tiradas, pois de acordo com ele, existem casos em que alguns detentos deveriam ter sido libertados.
“Esse contato é importante, muitos dos direitos deles estão sendo violados, existem casos em que eles já deveriam ter saído daqui, porém por atrasos de questões, a situação fica sendo prolongada”, afirmou.
Foto: Fablicio Araújo (Cortesia)
Já a diretora educacional e principal ‘cabeça’ do projeto, Jéssyca Cavalcanti, explicou a inclusão deste projeto no presídio, que já está ativo desde o ano passado, e elencou as novidades para esse novo ano letivo.
“Ampliamos a quantidade de ofertas e alunos, serão cerca de 200 alunos que irão ser divididos em quatro espaço sendo oito turmas, e só não há mais alunos porque a oferta ainda não tem estrutura para mais pessoas”, afirmou.
Sobre a seleção dos professores que trabalharão no presídio, a vereadora afirmou que alguns acabam tendo resistências que são compreensivas e que outros que optam por trabalhar no local, acabam gostando.
“Já convidamos os professores da própria escola. Existem alguns que acabam tendo resistência no projeto e nós entendemos, porém alguns que se oferecem vem a acabam gostando da ideia, inclusive não ficam com vontade de sair”, elencou.
Foto: Fablicio Araújo (Cortesia)
As aulas terão início nesta terça-feira (07) e no dia de hoje, apenas a organização do espaço e a verificação da estrutura foram realizadas. Já os advogados mencionados acima, irão realizar encontros semanais com os detentos para possíveis dúvidas.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso