.

Os nãos que a vida dá


Olhar o eu egocêntrico. Centro das atenções, onde só o eu importa. Algo perigoso que tem gerado falta de respeito, afronta ao próximo e até mortes. Isso mesmo, mortes. Os dias 25 e 26 de junho ficarão marcados em nossa região por alegrias, pois a Fulô de Mandacaru, banda de forró de Caruaru, sagrou-se a grande campeã do reality global Superstar. Como os meninos mesmos dizem, já são 15 anos ralando muito para chegar aos píncaros da glória, ou seja, o tão desejado sucesso. Receberam tantos nãos pela vida que um a mais ou um a menos, não fez diferença para a banda vencer. Mas, o que vemos foi uma tempestade de críticas à cantora e jurada Sandy, única e exclusivamente, por ela desenvolver o papel dela: julgar.

Gosto é algo bem interessante. Eu admiro muito os meninos. Há algum tempo acompanho o trabalho deles. Acho a banda magnífica. Pingo tem um jeito todo especial de cantar. Sem contar que são uns amores de pessoas. Batalhadores e de sangue guerreiro como todos os nordestinos. Isso fez toda a diferença, porque o Nordeste, mais uma vez mostrou sua força, desde o primeiro programa, quando a Daniella Mercury, se enrolou e disse não. Naquele momento, a Daniella também foi muito criticada, mesmo assumindo ter votado errado. Mas, os intolerantes não a perdoaram e foram às redes sociais criticar a artista.

Diante de tudo, a Banda Fulô de Mandacaru também recebeu sim de Sandy algumas vezes. Mas, como só dizer sim interessa, ninguém se manifestou, porque foi confortável receber o sim. Entretanto, muitas vezes um não ajuda tanto, sabe, ajuda inclusive a sair da zona de conforto, em que, muitas vezes, a gente se põe e esquece de sair. Como jurada, Sandy não poderia ficar em cima do muro. É preciso se posicionar e a mesma o fez com afinco. Se posicionou. Eu, como nordestino, em nenhum momento sinto-me discriminado por a Sandy não ter votado na banda caruaruense. Essa história de em tudo se fazer de coitadinho e achar que é preconceito, só gera ainda mais preconceito e intolerância. Sucesso à Banda Fulô de Mandacaru e, espero que aos que criticaram a Sandy de forma tão ferrenha, que façam uma reflexão e ajudem aos meninos seguirem no sucesso, consumindo seu produto, porque é bom, não apenas porque foi para a Globo, mas porque a Banda eleva a nossa cultura nordestina.

*Betto Aragão é jornalista, especialista em Comunicação e Marketing pela FAVIP e em Gestão Pública pelo IFPE e Professor universitário.

Comentários pelo Facebook
0 Comentários pelo Blog

Ao escrever seu comentário, certifique-se que o mesmo não possui palavras ofensivas (palavrões), calúnia e difamação contra ninguém, pois, caso haja, ele poderá ser banido por nossos moderadores, desejando manter a ordem e respeito a usuários e terceiros citados nas publicações.

Cordialmente: Equipe Blog do Bruno Muniz (Para mais informações consulte as nossas Políticas de Uso).